Meu primeiro xing-ling

De início eu os detestava. Achava um absurdo alguém comprar aqueles aparelhos horrorosos, de baixa qualidade e que não durariam nem um mês de uso. Depois passei a dar atenção a eles enquanto fenômeno de consumo entre as classes populares. Mais depois ainda, achava engraçadinhos. Mas como diz a banda, simpatia é quase amor e agora os aparelhos celulares chineses estão no centro da minha atenção.

Os aparelhos xing-ling hoje estão em praticamente todas as residências. Praticamente todas as pessoas com que tenho conversado possuem ou conhecem alguém que utiliza uma dessas maravilhas de baixa qualidade. O que mais me impressiona é a possibilidade de uma nova revolução chinesa, causando um acontecimento botton-up, em que consumidores de classes populares tem acesso a tecnologias ainda não disponíveis a outros grupos consumidores: basicamente um aparelho que junta dual chip, com TV, acesso à Internet e vários outros recursos, dando forma aos famosos MP-tudo.

Há cerca de uma semana fui ao Centro de Comércio Popular da Uruguaiana, no centro do Rio de Janeiro, para adquirir meu primeiro xing-ling. O local reúne centenas de pequenos boxes que oferecem os mais variados produtos em um grande e animado mercado de produtos “importados”, como todos preferem chamar. Não é difícil encontrar quem venda celular, difícil mesmo é decidir-se frente à grande oferta de modelos.

Eu acabei optando pelo mais barato que havia, uma réplica de E71, porém menor e com mini teclado ABC, ao invés do QWERTY. O verso informa haver uma câmera de 12 megapixel, o que não condiz com a realidade em absoluto, mas a recepção de TV funciona bem que é uma maravilha, assim como o uso de dois SIM cards. A bateria dura bem pouco, ainda mais se assistir TV.

A interface também tenta mimetizar a do Symbian S60 produzido pela Nokia. Há graves problemas com as versões de idiomas, pois ao escolher Português como linguagem, ainda há varias telas em Inglês e itens de menus em idiomas diferentes em uma mesma tela. Os ícones não são os mais legíveis e compreensíveis, mas, quer saber, as pessoas são incrivelmente inteligentes e conseguem passar por cima de disso. Principalmente se for possível adquirir um desses por cerca de R$ 130,00. Um aparelho do tipo smartphone com tela maior e acesso Wi-Fi custa a bagatela de R$ 300,00, podendo ser negociado com pagamento em dinheiro à vista. Ah, sim! O vendedores aceitam cartão, pode ir despreocupado.

Bom, só pra finalizar, estou bem satisfeito com meu primeiro xing-ling. Nem assisto TV o tempo todo, mas só saber que posso fazer isso quando bem entender já me satisfaz.